Como escrever bons conteúdos para negócios que trabalham com temas chatos

Eu realmente adoro quando tenho a oportunidade de pegar um conteúdo para escrever cujo tema eu não conheço ou nunca me aprofundei. Em geral, são essas as atividades desafiadoras do meu dia a dia como redatora e, não vou negar, elas me instigam bastante. Gosto da pesquisa, gosto de saber que a cada clique sou como um cão farejador em busca de boas fontes, bons argumentos ou referências. Eu realmente gosto disso!

No entanto, trabalhando como redatora e copywriter não é todo dia que eu recebo essa missão de virar uma “Sherlock Holmes” em busca do material necessário para elaborar um conteúdo interessantíssimo. Muitas vezes eu escrevo para negócios chatos, que lidam com temas naturalmente chatos e que você olha, olha e olha para a pauta e fica lá pensando “como fazer para isso se tornar algo interessante?”. Às vezes parece impossível. Mas é um desafio também…

É obvio que isso poderia virar uma pedra no sapato, afinal acho que nem eu, nem ninguém acha super bacana passar uma tarde inteira escrevendo sobre nota fiscal eletrônica, ou “qual o regime tributário perfeito para a sua transportadora”, ou “as 10 coisas que você não sabia sobre o eSocial”, e por aí vai… Porém, com algumas dicas, juro, dá para filtrar bem esses conteúdos e até deixá-los bem mais interessantes. Acredite se quiser! Mas se não quiser, pelo menos continua lendo esse post com alguns “truques de ninja” (porque eu não acordei modesta hoje!) que separei para você escrever melhor esses conteúdos chatos pra c@#!*¨o! Vamos?

Descubra a história por trás daquele negócio ou da marca

Por mais chato que seja o tema do seu escopo, todo negócio possui uma história bem interessante por trás. Isso pode não estar claro em um primeiro momento, por isso o seu desafio como redator ou copywriter aqui é encontrar o caminho das pedras e descobrir onde estão as peças do quebra cabeça que te levam a essa boa história.

Recentemente recebi a missão de montar uma estratégia de marketing de conteúdo e consolidar um blog de um negócio que atua no segmento de guarda de documentos. Logo na reunião com o responsável pelo marketing ele já me adiantou: “olha, estou terceirizando esse serviço porque nem eu acho que tem muita coisa interessante para dizer sobre isso. Aqui é tudo muito objetivo”.   Eu, naturalmente, por amor ao job, disse ao cliente que isso era uma questão de pesquisa… Porém, ao desligar o Skype achei que dessa vez eu tinha ido longe demais. O desafio parecia ser grande mesmo!

Comecei a pesquisa de referências, achei pouquíssima coisa interessante sobre o tema. Me debrucei num mapa mental, fiz brainstorm, passei uns dias assim falando comigo mesma, pensando sobre temas interessantes linkados com aquele tema chato.

Tive a ideia então de entrevistar alguns dos donos da empresa, para saber por que montaram aquele negócio e de onde surgiu a ideia e tudo mais. Depois de quase duas horas no Skype com o CEO da empresa, eu já estava fascinada pela ideia de guardar documentos. A própria história de um negócio é algo instigante e em geral, os empreendedores que estão por trás dele, cultivam alguma paixão sobre aquilo. Tente encontrar qual é. Ela será fundamental não apenas para a construção do projeto editorial, como também para a elaboração do conteúdo.

Coloque-se no lugar do leitor

Se você fosse o leitor, como você gostaria de ler sobre aquele tema? Quais são os detalhes que você pode explorar que tornam esse tema chato algo interessante para se dizer. Já falei aqui que uma das coisas que me ajuda a deslanchar no texto é fazer perguntas antes de começar a escrever. Que tal se colocar no lugar do leitor e fazer essas perguntas por ele? Isso certamente pode deixar qualquer conteúdo mais interessante, afinal, em vez de tentar simplesmente escrever sobre o tema, sua abordagem será focada naquilo que as pessoas querem saber sobre o tema. Se está difícil, ou você está em um dia pouco criativo, ligue para um amigo, parente ou mesmo para o crush (se liga no pretexto…) e pergunta: “o que você gostaria de saber sobre o tema X”. Parece bobagem, mas funciona…

Entenda que todo conteúdo tem seu valor

Existem conteúdos que foram feitos para entreter, outros para explicar, outros para opinar, outros para polemizar, e por aí vai… Todo tema carrega consigo um valor, uma função. Cabe a você como redator saber qual é a missão daquele tema e trabalhar em cima disso.

Eu sei, parece profundo e até meio profético, mas na prática é mais simples. Pegando o exemplo do conteúdo sobre a nota fiscal eletrônica… Aqui o objetivo é explicar ao leitor leigo como funciona esse tipo de nota, se ela substitui à antiga, quem deve aderir, etc…. Em outras palavras o valor desse conteúdo é instruir o leitor dando a ele elementos para agir.

Desenvolva uma metáfora

Essa dica é boa e muito valiosa. Existe um tema chato para ser escrito, que tal criar uma metáfora para deixá-lo mais interessante? Isso pode deixar seu conteúdo muito mais acessível e criar um ótimo canal de interação com o leitor. Lembre-se que um dos maiores valores do marketing de conteúdo é o relacionamento. Somente através do relacionamento com o seu público alvo que você começa a criar leads.

Traga estatísticas

Estatísticas são sempre uma boa maneira de chamar a atenção e fazer o leitor refletir sobre o tema, mesmo que a princípio ele não tenha um real interesse naquilo.  Por isso use e abuse das estatísticas para deixar seu tema chato muito mais interessante. Apenas tenha cuidado com a fonte para não escrever bobagem e sempre – eu disse SEMPRE – credite as fontes quando escrever sobre estatísticas. Em hipótese alguma deixe o leitor imaginar que aqueles números saíram da sua cabeça criativa de redator.

É estranho dizer isso… Quando comecei a atuar como redatora, eu mesma não imaginei que um dia pudesse lidar com tal afirmação, mas a verdade é que sim, é possível criar conteúdo criativo mesmo para negócios chatos! Não nego que no começo, ao lidar com essas pautas, meu dia ficava até meio nublado e descia aquela nuvem cinza do mau humor em cima do meu computador. No entanto, hoje, reconheço… Essas coisas chatas de se escrever me aprimoraram muito como profissional e me desafiaram também como escritora.  O que levo disso tudo é simples: quando não se tenta transformar um conteúdo chato na coisa mais mega super hiper interessante do planeta, você acaba percebendo quais são os pontos fortes daquele tema que podem ser explorados.

Quais são temas e negócios que você considera chatos para trabalhar? Essas dicas ajudaram você? Deixe seus comentários abaixo!

13 comments

  1. Helga, adorei o post! Tem muita gente que cai na ilusão de que como freelancer só vai escrever sobre temas que ama, mas a verdade não é bem por aí…. O que não impede de achar amor em qualquer assunto sobre o qual venha a escrever! 🙂
    PS: adoro escrever sobre pautas como nota fiscal eletrônica, prova que tem gosto para tudo!!

    • kkkkkkk pois é, Luciana! tem gosto pra tudo mesmo! mas aos poucos a gente vai aprendendo a tornar até o que não parece tão gostoso em, pelo menos, interessante. Acho que aprendi a comer salada, aprendendo a fazer os molhos. Escrevendo é a mesma coisa! Obrigada pela visita! 🙂

  2. Adorei as dicas, é assim mesmo, parece que desce aquela nuvem cinza quando surgem temas sem graça. Lembrarei desse texto quando a próxima pauta chata surgir, obrigado!

  3. Muito interessante as dicas. Serão úteis ate mesmo para conteúdos interessantes, pois se formam clichês e temos que inovar no conteúdo da abordage ao leitor sempre!

  4. Usually I do not read writeup on blogs, nevertheless I wish to say that this writeup extremely forced me to take a look at and do so! Your writing taste has been amazed me. Thanks, really wonderful post. ekkkeebdceedgdfg

  5. Um conteúdo mais “popular”, digamos assim, acho mais difícil de escrever, pois há uma linha tênue entre cair no clichê e propor algo diferenciado. Um conteúdo menos popular (mais “chatão” mesmo) é sempre um desafio. Já tive alguns jobs assim. Certa vez escrevi sobre direito portuário kkk Eu era estagiário de jornalismo na época. Até pesadelos eu tive, mas foi muito recompensador profissionalmente. Enfim, serviu de experiência. Sobre o post, parabéns! Ganhei meu dia. Adorei as dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *